Tamanho do texto
Foto: Airton Fernandes / Secom

Nova profundidade e excelência operacional colocam o Porto de Imbituba em destaque no cenário nacional

Uma nova fase começa para a região Sul de Santa Catarina. Na tarde de quinta-feira, 22, foi autorizada pela Marinha do Brasil a nova profundidade para manobras de navios no Porto de Imbituba. O porto passa a contar com um canal de acesso com profundidade de 17 metros e bacia de evolução com 15,5 metros. Os berços passam a operar com 14,5 metros, entretanto até que seja concluída a nova sinalização, a autorização é para 13,5 metros de profundidade. Estes números representam um marco histórico para o Porto de Imbituba que conta agora com a maior profundidade entre os portos do Sul do Brasil.

Consequência de uma dragagem de aprofundamento concluída há 10 meses, a nova profundidade significa que o porto está apto a receber navios com capacidade de transportar até 9.000 contêineres ou 80.000 toneladas de granéis. Tal fato, aliado às excelentes condições operacionais já existentes, deve refletir em crescimento na movimentação de cargas e na arrecadação.

Com relação às características de operação, o Porto de Imbituba possui uma condição privilegiada. Situado em uma enseada de mar aberto e protegido de ventos e ressacas por um molhe de 850 metros, o porto garante aos seus clientes flexibilidade para a movimentação de grandes navios e tempo reduzido para manobras. Diante das frequentes mudanças climáticas que atingem diversas regiões do país, ocasionando o fechamento dos complexos portuários e cancelamento de atracações, o Porto de Imbituba surge como importante alternativa para atender a demanda do mercado.

Desde 2012, sob administração do Governo do Estado através da SCPar, não há registro de fechamento por motivo de falta de segurança ou mau tempo. O canal de acesso, a ampla bacia de evolução e a proximidade com a área de fundeio proporcionam manobras de atracações e desatracações rápidas e seguras. Ainda com relação às condições operacionais, o Porto apresenta excelência na movimentação de grãos agrícolas e serve de referência para os demais portos do país, alcançando altas taxas de produtividade. O tempo de espera para atracação é o menor da região Sul.

Além das condições naturais diferenciadas, o Porto de Imbituba conta com armazéns cobertos para carga geral, tanques para granéis líquidos, áreas de pátio para granéis sólidos, área de contêineres, além de armazéns frigoríficos e grãos. O acesso logístico se dá através do modal rodoviário, com ligação direta entre o porto e a BR-101, e ferroviário através da Ferrovia Teresa Cristina que liga Imbituba ao município de Criciúma.

O setor produtivo catarinense diferencia-se do resto do Brasil: enquanto nacionalmente predomina a produção de commodities, em Santa Catarina destaca-se a indústria de transformação. Grande parte dos insumos necessários para a produção industrial chega ao Estado pelos portos, e é através dos complexos portuários que essa produção é escoada para o resto do país e do mundo. Assegurar que este fluxo de abastecimento do mercado seja contínuo é um dos objetivos do Porto de Imbituba, através do compromisso em manter um porto eficiente, seguro e apto a operar em período integral.

Texto: Caroline Leivas Borges

Foto: Airton Fernandes / Secom

Informações adicionais para a imprensa:
SC Par

4/11/2015